1 em cada 5 japonês se matará por excesso de trabalho

A Dentsu é a maior agência de publicidade do Japão e controla societariamente grande número de agências pelo mundo, ocupando uma posição entre os quadro grandes grupos como WPP, Omnicom e Publicis.

Na última quarta-feira, 28/12, Tadashi Ishii, CEO da empresa disse que deveria assumir a responsabilidade por não ter conseguido acabar com a “cultura de horas extras notoriamente punitiva” da empresa. Ele  renunciou ao cargo depois que uma funcionária se suicidou por trabalhar demais, informou o Financial Times. “Apesar de ter tomado várias medidas, não conseguimos uma reforma dramática para o excesso de trabalho”, disse o executivo, de acordo com o jornal britânico.

Em nota publicada nesta quinta-feira (29), a Dentsu informou que a demissão de Ishii ocorrerá na assembleia do conselho de administração, em janeiro, e que um sucessor será anunciado imediatamente após a reunião.

Matsuri Takahashi, de 24 anos, trabalhava na divisão de publicidade digital da Dentsu. Ela tirou a própria vida após trabalhar nove meses na empresa, no Natal do ano passado, em Tóquio, segundo o The Japan News.

No mês que antecedeu sua morte, a funcionária havia feito 105 horas extras e tinha escrito diversos e-mails para sua mãe contando os problemas de sua vida profissional, conforme advogados da família relataram ao FT.

“Como uma recém-contratada, ela (Matsuri Takahashi) estava trabalhando no seu extremo, mas estava sendo tratada como qualquer outro funcionário. Não acho que é exagero descrever a situação como um assédio moral”, disse Ishii, ainda conforme o FT.

Problema crônico

A renúncia de Ishii à presidência da Dentsu foi comunicada no mesmo dia em que o Ministério do Trabalho japonês levou a agência e um de seus executivos (o supervisor de Takahashi) à Justiça por conta do caso.

Em novembro, o órgão fez uma batida surpresa na companhia e descobriu que mais de 30 empregados eram forçados a trabalhar exaustivamente, ferindo a lei. Eles chegavam a fazer mais de 100 horas extras por mês, assim como a funcionária que se matou.

O problema é antigo na Dentsu. Em 2000, ela foi responsabilizada pelo suicídio do jovem Ichiro Oshima, também de 24 anos, ocorrido em 1991. A Suprema Corte do Japão considerou que a empresa foi negligente ao não prever o incidente, já que o funcionário demonstrava sinais de depressão por excesso de trabalho.

A cultura de trabalhar diversas horas seguidas é comum no Japão e todo o país está em alerta por conta do fenômeno das mortes relacionadas a esse problema, conhecido como “karoshi”, que já é considerado uma doença profissional.

Todos os anos, centenas de profissionais perdem a vida por conta do excesso de trabalho no país, seja por suicídio, ataque cardíaco ou AVC (acidente vascular cerebral).

De acordo com uma pesquisa feita pelo governo japonês e divulgada pelo Guardian, 20% da força de trabalho do país corre risco de sofrer “karoshi”.

O mesmo documento mostrou que 22,7% das empresas nipônicas admitem que alguns de seus funcionários fazem mais de 80 horas extras por mês, o limite para que a saúde fique comprometida.

Opine

comentários

Publicado por Wladimir

Nerd desde sempre. Começou a programar em Basic, em um CP 400 Color II lá por 1985. Fã de Star Wars, Star Trek e outras séries espaciais. Pai de 4 filhos - um era pra se chamar Linus, mas o nome encontrou muita resistência :( Aliás, software livre é outra paixão. Usuário Linux desde 1999. Presidente da Associação Software Livre Santa Catarina. Defensor do livre compartilhamento. É o compartilhamento que tem feito a humanidade avançar. As ideias são uma construção coletiva da humanidade :) Foi fundador do Partido Pirata do Brasil e membro de sua 1ª Executiva Nacional (2012-2014). Foi também assessor do gabinete do Ministro da Ciência e Tecnologia durante 2016, até a efetivação do golpe que destituiu Dilma Rousseff. Ah, também é editor aqui dessa bagaça, onde, aliás, você também pode colaborar. Só entrar em contato (42@nerdices.com.br) e enviar suas dicas, artigos, notícias etc. Afinal, a Força somos nós!

Website: http://www.nerdices.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *