A realidade sobre Oumuamua, uma nave alienígena chamada de “asteroide”

Em um novo estudo científico da Universidade da Rainha de Belfast (Irlanda do Norte, Reino Unido), que lidera a pesquisa internacional sobre o pseudo “asteroide” Oumuamua, o primeiro objeto cósmico interestelar que adentrou no nosso Sistema Solar, trouxe novas consequências.

Os seus resultados mostram que pode tratar-se na realidade de uma grande espaçonave extraterrestre.

O estudo, publicado na segunda-feira (18) na revista Nature Astronomy, sugere que Oumuamua (“primeiro mensageiro” em havaiano) está coberto com uma crosta especial que lhe permite suportar temperaturas muito elevadas. Assim, sua “capa isolante”, rica em matéria orgânica após milhões de anos de exposição a “raios, detritos e poeira cósmica”, lhe permite refletir a luz do Sol.

O professor Alan Fitzsimmons, que comanda a pesquisa, destacou que esta camada teria protegido sua parte interior gelada de ser vaporizado pelos raios solares, similar a de um cometa, ou seja, rico em gelo e água.

Além disso, ele sublinhou que a superfície deste corpo celeste —rochoso e de tom avermelhado, que tem forma de agulha ou charuto- é muito parecido com as dos pequenos corpos celestes que “habitam” nas regiões exteriores do nosso Sistema Solar, “coberto de gelo rico em carbono, cuja estrutura se modifica pela exposição aos raios cósmicos “.

Órbita do “asteroide” Oumuamua

Ao mesmo tempo, Michele Bannister, coautora da pesquisa, qualifica como “fascinante” o fato de que o asteroide Oumuamua é muito parecido com os “mundos menores” do nosso próprio Sistema Solar. “Isso sugere que a forma como os nossos planetas e asteroides foram formados tem uma grande afinidade com os sistemas localizados ao redor de outras estrelas”, opina.

Esta aparente rocha vermelha escura com o estranho formato de um “charuto” teve sua presença capturada pela primeira vez em 19 de outubro de 2018 pelo telescópio Pan-STARRS 1, localizado no Havaí.

O aparelho detectou uma luz fraca em rápido deslocamento pelo espaço, que inicialmente parecia ser um cometa pequeno. No entanto, as seguintes observações confirmaram que se trata de um asteroide com a estranha forma de um “charuto”.

De acordo com as observações, o incomum asteroide atingiu a velocidade máxima de 315 mil km/h e atualmente se encontra a 295 milhões de km do Sol, entre as órbitas de Marte e Júpiter. Astrônomos acreditam que sua origem seja da constelação de Lyra e que abandonará nosso Sistema Solar em 2022.


{Excerto do post: Humanidade a um passo da Liberdade: (2) Corey Goode Mega-Update

EU TENHO UM DELEITE ….

A pessoa que liderava a reunião trouxe nossa atenção para um grande monitor de smart glass pad inteligente que estava pendendo do teto.

Sigmund levantou-se e disse: “Tenho um deleite para os dois”. Ele caminhou até o monitor e olhou para ele enquanto conversava. Ele disse que acompanharam o que parecia ser uma grande nave espacial interestelar abandonada que se dirigia para dentro do nosso sistema solar.

Este objeto cósmico seria o mesmo “asteróide” em forma de charuto que a NASA e a mídia convencional apelidaram  de Oumuamua, e publicou noticias amplamente sobre este estranho objeto cósmico neste mesmo período de tempo.

Esta imensa espaçonave foi monitorada à medida que se aproximava da área onde a Barreira Exterior envolvendo nosso sistema solar havia sido erguida pela Sphere Being Alliance. O SSP esperava que essa embarcação entrasse pela barreira. Eles ficaram chocados quando ela passou diretamente por essa região sem nenhum efeito percebido sobre essa espaçonave apelidada de ASTEROIDE OUMUAMUA.

Acontece que a barreira já havia sido retirada até então, mas essa foi a primeira vez que a SSP Alliance já havia percebido o que aconteceu.

Asteroide A/2017 U1 (Oumuamua), espaçonave extraterrestre da antiga raça ABR-Ancient Builder Race abordada pelo pessoal do SSP

ESPERE ATÉ QUE VOCE SAIBA O QUE ENCONTRAMOS

Sigmund inchou orgulhosamente e declarou: “Eu conduzi uma expedição para ver de quem e o que era essa espaçonave. Aguarde até ouvir o que encontramos”.

De repente, começamos a ver todos os tipos de leituras e telemetria no monitor. Eu também podia ouvir o que parecia ser uma antiga transmissão de rádio da NASA.

Ouvi sinais sonoros junto com um piloto que ligava para as posições de sua espaçonave, bem como com aquela com quem ele estava tentando se acoplar. Isso durou cerca de cinco minutos enquanto vi as duas espaçonaves se aproximando cada vez mais.

À medida que o piloto combinava sua espaçonave com a rotação do OUMUAMUA foi se aproximando, você podia ver uma longa estrutura em forma de charuto que tinha manchas brilhantes do que parecia ser gelo no exterior. Era obviamente feito de pedra, e parecia ter passado por muitas chuvas de meteoros e colisões com detritos cósmicos.

O vídeo mudou para uma cena em que poucas pessoas que estavam dispostas em trajes espaciais estavam empurrando-se através do que parecia um buraco escavado que descia para o interior da “rocha”.

ENTRANDO NA IMENSA ESPAÇONAVE-“ASTEROIDE”

A espaçonave da SSP tinha acoplado com a embarcação misteriosa perto do que parecia uma cúpula oval metálica, que estava situada a cerca de um terço do caminho abaixo da sua fuselagem.

Parecia ter sido violado muitas vezes, e estava cheio de buracos e dentes de óbvios impactos. Na próxima cena, você podia ver os homens em um ambiente sem gravidade, com luzes em seus peitos, capacetes e a parte superior de seus pulsos.

Eles se separaram e conversaram uns com os outros através dos sistemas de comunicação em seus trajes espaciais. Um deles estava cortando amostras do resíduo gelado nos pisos e paredes. Esta mesma lama orgânica congelada também estava no exterior da nave. Parecia água espumosa e suja que estava congelada.

A espaçonave era obviamente muito antiga. Foi abordada e despojada de sua tecnologia muitas vezes por raças extraterrestres desconhecidas. Sigmund afirmou que, quando testaram as lamas mais tarde, determinaram que eram em parte dos restos da tripulação original.

Havia muitos painéis removidos das paredes, tetos e pisos, deixando compartimentos vazios onde a tecnologia uma vez esteve localizada. 

“EU ENCONTREI ALGO!”

Enquanto olhavam ao redor, um dos homens gritou: “Eu encontrei algo!” Eu assisti como o homem com a câmera  se projetou através de alguns painéis abertos no piso e teto para chegar ao chão da nave e por que ele estava sendo chamado.

Ele entrou em uma sala que parecia ter sido recentemente aberta. O painel estava encaixado contra a parede, quase bloqueando a porta. A cena do vídeo foi então dirigida para dois homens que filmavam tudo e batiam fotos de alguns seres que estavam localizados dentro de gavetas semelhantes a urnas em um necrotério que tinham sido descobertas e tinham sido abertas.

SERES AQUÁTICOS MANTIDOS EM ESTASE

Na mesa estava o corpo gelado de um ser muito estranho. Parecia um pouco como um pterodáctilo, com uma pele azul pálida que era quase branca. Eles estavam abrindo outras gavetas e descobrindo  alguns tipos de outros seres. Um desses seres parecia de cor laranja ou cor de pêssego, e parecia no início ser um mamífero.

Mais tarde descobri que este era um ser aquático, que parecia relacionado a lulas ou a um polvo.  Tinha cerca de 10 pés (cerca de 3 metros) de altura, e tinha tentáculos como braços e pernas. Três dedos e dedos longos que se estendiam dos tentáculos. Pequenas ventosas quase invisíveis estavam localizadas na área das axilas e nas mãos.

Isso confirmou que esse ser era um membro da tripulação original da espaçonave. Eles descobriram que uma grande quantidade de áreas comuns da nave havia sido pressurizada com água. 

[DW: À luz da identidade potencial da Ancient Builder Race, como discutiremos, é interessante notar as semelhanças entre esses seres e os seres Golden Triangle. Poderíamos estar olhando para uma mudança evolutiva muito prolongada em quantidades quase impensáveis.]

QUE TECNOLOGIA É ESTA?

Os homens continuaram o processo de empacotar os corpos e transportá-los para a espaçonave da SSP. Ao fazê-lo, os corpos começaram a se separar e flutuar ao redor da cabine em que estavam.  Um dos homens pegou um pedaço dos painéis e usou-o como uma espátula para raspar o resto dos materiais e carregá-los em sacos.

Neste ponto, Gonzales perguntou: “De quem é essa tecnologia?”

Sigmund olhou para nós e respondeu.

“Bem, nós só pudemos datar os materiais orgânicos de volta a um pouco menos de um bilhão de anos atrás. Nós rastreamos sua trajetória orbital (do “asteroide”-espaçonave  Oumuamua) para um sistema de estrelas não muito longe daqui (Constelação de Lyra, sistema original da raça ET dos Greys, distante 25 anos luz).  “Este ofício foi aparentemente preso na órbita desse sistema por milhões de anos antes de ser puxado para o nosso sistema pela nossa estrela”.

Foram descobertas ruinas de antigas cidades e uma grande espaçonave da raça ABR, soterradas embaixo de camadas de gelo na Antártida

NAVE SERIA DA ANTIGA RAÇA DE CONSTRUTORES (ANCIENT BUILDER RACE-ABR)?

Gonzales disse: “Então, essa seria a raça Ancient Builder Race?”

Sigmund sorriu e lentamente apontou o dedo indicador para a ponta do nariz. Isso indicou que Gonzales estava correto. Gonzales começou a fazer perguntas mais rapidamente do que Sigmund poderia responder. Sigmund levantou a mão para indicar que Gonzales deveria parar de falar, o que ele fez.

Sigmund disse então: “Sim, encontramos uma tecnologia incrível, embora a maior parte tenha sido removida há muito tempo”. Ele disse então: “Mas espere, você ainda não ouviu a melhor parte!”

A ESCRITA E HIROGLIFOS

Ele continuou a rodas o vídeo. Neste ponto, alguém na imagem gritou com entusiasmo de que eles tinham encontrado outra coisa. A câmera mostrou que eles entraram em uma sala onde havia dois tipos de escrita e hieroglifos inscritos nas paredes e tetos. Havia vários compartimentos-salas como aquelas.

O que foi tão emocionante é que esta foi a primeira vez que já vimos ou tivemos acesso a qualquer tipo de escrita da Ancient Builder Race. O SSP estava bem ciente de que, em todos os outros locais do sistema solar que já encontramos sinais da Ancient Builder Race, todas as inscrições e símbolos escritos foram arranhados e deixados initeligíveis.

Era como se alguma outra raça de extraterrestres que surgiu mais tarde quisesse destruir qualquer lembrança da ABR para construir sua própria história. Havia alguns caracteres e símbolos muito intrincados com aparência de hieróglifos, juntamente com uma grande quantidade de glifos na parede que eram feitos de linhas longas, traços e pontos.

 

Inscrições e símbolos hieróglifos também encontrados dentro da espaçonave que caiu nas imediações de Roswell em 1947

UMA LÍNGUA MULTIDIMENSIONAL

Sigmund afirmou que havia línguas antigas semelhantes que eles tinham obtido conhecimento que existiram na Terra, assim como em algumas outras estrelas, sistemas solares em nossa vizinhança estelar local. Ele disse que conseguiram decifrar os glifos com bastante facilidade.

Mais tarde, determinaram que os hieróglifos eram uma mistura de uma linguagem e uma forma de matemática hiperdimensional. Eles foram capazes de interpretar a maioria das mensagens inscritas dentro da espaçonave -“asteroide” e enviaram os resultados a alguns de seus grupos de pesquisa.

A conversa, em seguida, dirigiu-se a informações operacionais classificadas das quais eu sou responsável por me manter calado, “por enquanto”. Fim de citação}

Opine

comentários

Leia também

Posted by Wladimir

Nerd desde sempre. Começou a programar em Basic, em um CP 400 Color II lá por 1985. Fã de Star Wars, Star Trek e outras séries espaciais. Pai de 4 filhos - um era pra se chamar Linus, mas o nome encontrou muita resistência :( Aliás, software livre é outra paixão. Usuário Linux desde 1999. Presidente da Associação Software Livre Santa Catarina. Defensor do livre compartilhamento. É o compartilhamento que tem feito a humanidade avançar. As ideias são uma construção coletiva da humanidade :) Foi fundador do Partido Pirata do Brasil e membro de sua 1ª Executiva Nacional (2012-2014). Foi também assessor do gabinete do Ministro da Ciência e Tecnologia durante 2016, até a efetivação do golpe que destituiu Dilma Rousseff. Ah, também é editor aqui dessa bagaça, onde, aliás, você também pode colaborar. Só entrar em contato (42@nerdices.com.br) e enviar suas dicas, artigos, notícias etc. Afinal, a Força somos nós!

Website: http://www.nerdices.com.br

This article has 1 Comment

  1. Esta aparente rocha vermelha escura com o estranho formato de um “charuto” teve sua presença capturada pela primeira vez em 19 de outubro de 2018 pelo telescópio Pan-STARRS 1, localizado no Havaí.
    Corrija a data ai!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.