O LIGO usou Ubuntu Linux para detectar as ondas gravitacionais.

O LIGO (Laser Interferometer Gravitational Wave Observatory) pode não desfrutar da mesma atenção da mídia que outros grandes projetos de física, mas é possível que esta situação se altere depois das manchetes que o observatório fomentou sobre a descoberta das ondas gravitacionais — a última grande teoria de Einstein.
Agora, temos mais um motivo para compartilhar (sem dó!) uma notícia sobre o LIGO: parece que as equipes usam Linux (Ubuntu) para trabalhar nos seus experimentos de física.

As ondas gravitacionais foram previstas por Albert Einstein, nos idos de 1916 — na Teoria Geral da Relatividade.

Encontrar o GNU/Linux em um laboratório de física ou qualquer outro empreendimento em que a precisão e a quantidade de cálculos é significativa — não é, exatamente, uma surpresa.
O Ubuntu também está presente nos laboratórios de análise dos dados obtidos pelo Hubble Space Telescope e no Large Hadron Collider, no CERN — só para citar alguns exemplos.
Onde tem gente fazendo ciência, tem gente usando Linux.
Ubuntu GNU Linux in LIGO
No vídeo, abaixo, é contada a história de toda a empreitada.
Vale ver o vídeo inteiro mas, se você quer ver apenas as telas dos computadores (que “evidenciam” o que estamos dizendo), veja o vídeo a partir dos 9:00.
As telas mostram o uso do Ubuntu e do MacOS.

Não é à toa que os computadores mais poderosos do mundo usam Linux.
Cientistas (e até cineastas…) escolhem o sistema operacional GNU/Linux para fazer o trabalho pesado por que ele é mais estável, seguro e confiável.

Leia mais sobre a descoberta das ondas gravitacionais: Última grande teoria de Einstein é confirmada.
Fontes: https://www.unocero.com/2016/02/20/ubuntulinux-usado-para-detectar-ondas-gravitacionales/.
https://www.reddit.com/r/LinuxActionShow/comments/35mnoz/runs_linux_the_hunt_for_gravitational_waves_runs/.

Opine

comentários


Publicado por Elias Praciano

Eu já fui hacker de LEGO, até a hora em que descobri os computadores.

Website: http://elias.praciano.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *