Conheça o caso macabro e inexplicado da morte de 10 expedicionários russos

Terá sido uma avalanche? Um caso grave de hipotermia? Intervenção de forças extraterrestres? Experimentos nucleares?

Nos últimos dias de janeiro de 1959, um grupo de 10 expedicionários (8 homens e 2 mulheres), estudantes do Instituto Politécnico de Ural, deu início a uma travessia pelos montes Urais, com o objetivo de explorar a montanha Otorten, no norte da cordilheira.

Sob a liderança de Igor Dyatlov, um jovem de 23 anos – porém bastante experiente –, o grupo chegou até Vizhai, uma aldeia no sopé das montanhas, onde Yudi Yudin, um dos exploradores, teve que ficar por causa de uma infecção intestinal. Os demais continuaram seu percurso e montaram acampamento em um declive da montanha Kholat Syakhl para passar a noite. A partir de então, nada mais pôde ser explicado.

Diante da falta de notícia sobre os expedicionários, em 20 de fevereiro foi iniciada uma campanha de resgate que, seis dias depois, conseguiu encontrar o acampamento. As tendas estavam rasgadas do lado de dentro, com todos os pertences intactos, e foram observados rastros de pés descalços em direção a uma floresta próxima.


Do lado de um pinheiro, foram encontrados os dois primeiros cadáveres, seminus e cobertos por uma camada fina de neve. Suas mãos estavam esfoladas, como se tivessem tentado subir desesperadamente numa árvore.

Nas proximidades, foram encontrados outros três corpos, incluindo o do guia Dyatlov, que não apresentavam nenhum tipo de lesão, embora estivessem dispostos de um modo como se quisessem voltar ao acampamento.

Dois meses depois, apareceram os cadáveres dos outros membros do grupo, vestidos com os mesmos trajes dos primeiros corpos seminus já encontrados. Eles tinham os crânios e as costelas fraturados, e, um deles, o de Ludmila Dubinina, estava sem a língua e os olhos.

A tudo isso, soma-se o fato de os trajes dos expedicionários apresentarem sinais de radioatividade e suas peles terem uma estranha cor amarronzada. Trazendo ainda mais mistério, um grupo de alpinistas relatou ter visto estranhas luzes na região nesses dias. Até hoje, o enigma permanece não solucionado.


Fonte e imagens: Playground

Opine

comentários

Leia também

Posted by Wladimir

Nerd desde sempre. Começou a programar em Basic, em um CP 400 Color II lá por 1985. Fã de Star Wars, Star Trek e outras séries espaciais. Pai de 4 filhos - um era pra se chamar Linus, mas o nome encontrou muita resistência :( Aliás, software livre é outra paixão. Usuário Linux desde 1999. Presidente da Associação Software Livre Santa Catarina. Defensor do livre compartilhamento. É o compartilhamento que tem feito a humanidade avançar. As ideias são uma construção coletiva da humanidade :) Foi fundador do Partido Pirata do Brasil e membro de sua 1ª Executiva Nacional (2012-2014). Foi também assessor do gabinete do Ministro da Ciência e Tecnologia durante 2016, até a efetivação do golpe que destituiu Dilma Rousseff. Ah, também é editor aqui dessa bagaça, onde, aliás, você também pode colaborar. Só entrar em contato (42@nerdices.com.br) e enviar suas dicas, artigos, notícias etc. Afinal, a Força somos nós!

Website: http://www.nerdices.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *