Conheça rituais de sexo pelo mundo completamente bizarros

O século XXI chegou com tudo, mudou todo o comportamento humano e nos tornou escravos da tecnologia e da internet em geral. Seja na hora de fazer amigos, conversar ou até mesmo arranjar um parceiro sexual, os hábitos das pessoas mudaram drasticamente.

Os rituais “modernos” de sexo parecem seguir um padrão já pré-definido, baseado em alguns modelos do passado: troca de olhares, combinadas em aplicativos conversas pelo WhatsApp, bebida seguida de muita conversa em algum canto da cidade e, se tudo correr bem, uma noite de sexo. A moda da paquera por aplicativos e redes sociais é febre por onde quer que você vá e, há, em todo o planeta, alguns rituais um pouco mais peculiares. Mas alguns lugares mantiveram tudo à moda antiga, veja alguns deles:

1 – No Havaí

Em certos relacionamentos, a intimidade chega a tal nível que alguns parceiros e parceiras começam a dar nomes carinhosos ao órgão genital com quem eles se relacionam. Isso não é bem uma novidade, mas se já pensou se chegasse a ser uma espécie de obrigação determinada? Exatamente. Essa prática já foi bastante comum no Havaí, onde tanto as pessoas comuns quanto os mais altos membros da realeza tinham o costume de dar “nome” ou “apelido”, a escolha é sua, a suas genitálias e, acredite, divulgar esses “apelidos carinhosos” publicamente. Já pensou isso onde você mora?

2 – Os hábitos na Nova Guiné

Em uma tribo chamada Sambian, na Nova Guiné, há uma tradição sexual que é considerada bastante incomum. Lá, os homens da tribo crescem sem qualquer tipo de contato com as mulheres. Há outro hábito bastante popular entre eles, para “garantir suas masculinidades”, os integrantes da tribo engolem o sêmen dos guerreiros mais velhos e mais valentões da tribo. Funciona, para eles, como uma forma de “masculinizar” e “virilizar” ainda mais o guerreiro da aldeia, torná-lo um macho feroz e masculinizado diante da figura das mulheres da tribo.

 

3 – O significado do rio Nilo para os antigos egípcios

A crença, nos séculos anteriores, era de que o fluxo da corrente das águas do rio Nilo era causado devido à ejaculação do chamado Deus Atum. Isso surgiu por conta de um costume adotado por alguns faraós do egito antigo de se masturbarem bem às margens do rio.

4 – Na Colômbia, se tropeçar tem que transar

O povoado Guajiro tem um costume bastante peculiar e curioso. Se em uma festa de casamento uma mulher tropeçar em um homem na escada ou qualquer lugar, os dois devem fazer sexo. Não há motivos nem explicação para isso.

5 – Pessoas do mesmo sexo no Egito

Na tribo Siwa, no Egito, o amor entre pessoas do mesmo sexo é respeitado sob um outro ponto de vista. Lá é comum que homens e mulheres do mesmo sexo se casem e constituam família. O que mais chama a atenção, é que diferente de muitos lugares com visão preconceituosa pelo mundo quanto ao tema, lá, se um homem não age como se fosse gay, ele é malvisto pela sociedade.

6 – Aulas de sexo desde cedo

Em Mangaia, uma pequena ilha no Pacífico,  é culturalmente comum que, a partir dos 13 anos, os garotos sejam submetidos a aulas de sexo com mulheres mais velhas. Os adultos incentivam os mais jovens a começarem ter relações sexuais desde cedo e aprenderem a técnicas e como proporcionar prazer às mulheres para que esse ato possa “durar mais”, na hora H.

Opine

comentários

Publicado por Wladimir

Nerd desde sempre. Começou a programar em Basic, em um CP 400 Color II lá por 1985. Fã de Star Wars, Star Trek e outras séries espaciais. Pai de 4 filhos - um era pra se chamar Linus, mas o nome encontrou muita resistência :( Aliás, software livre é outra paixão. Usuário Linux desde 1999. Presidente da Associação Software Livre Santa Catarina. Defensor do livre compartilhamento. É o compartilhamento que tem feito a humanidade avançar. As ideias são uma construção coletiva da humanidade :) Foi fundador do Partido Pirata do Brasil e membro de sua 1ª Executiva Nacional (2012-2014). Foi também assessor do gabinete do Ministro da Ciência e Tecnologia durante 2016, até a efetivação do golpe que destituiu Dilma Rousseff. Ah, também é editor aqui dessa bagaça, onde, aliás, você também pode colaborar. Só entrar em contato (42@nerdices.com.br) e enviar suas dicas, artigos, notícias etc. Afinal, a Força somos nós!

Website: http://www.nerdices.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *